TELEFONE BETA 11 3462-6213

BETA TV

LIGUE E PARTICIPE 011 3462-6213 Email:radiobetafm@gmail.com

BETA FM WHATSAPP

BETA FM WHATSAPP

PEDIDO DE MUSICA

Total de visualizações de página

SIGA A BETA FM NO TWITER

SIGA A BETA FM  NO TWITER
http://twitter.com/ radiobetafm

ESTUDIO DA BETA FM

ESTUDIO DA BETA FM

quinta-feira, 14 de maio de 2009

TIM MAIA

Não foi sem motivos que Tim Maia ganhou de Jorge Ben Jor o apelido de "Síndico do Brasil". Em seus quase trinta anos de carreira − interrompida de forma trágica, com sua morte em março de 1998 − o cantor e compositor carioca ajudou a definir a MPB com sua voz e swing inconfundíveis. E quando Tim Maia entrou para valer na cena pop nacioal, já se sabia bem além do Leme e do Pontal: a soul music brasileira havia chegado. E para sempre, tudo graças a música maravilhosa feita pelo Síndico.

A escalada de Tim no showbiz foi marcada pela diversidade de estilos. E também pela polêmica. Antes de gravar seu primeiro compacto em 1968, o então desconhecido Sebastião Rodrigues Maia, com 15 anos, assumiu a bateria da banda Tijucanos do Ritmo. Sua segunda cartada no pop foi no grupo de rock The Sputniks, que contava como membro o então roqueiro Roberto Carlos. Viajou e, para os EUA em 1959, e quatro anos mais tarde seria tocado pelo gospel e pelo soul. Somente em 1968 ganharia da gravadora CBS a chance de gravar o compacto "Meu País", com "Sentimento no lado B.

Chega a década de 70 e com ela Tim Maia despontaria no mundo do disco. Por indicação da banda Os Mutantes, o músico finalmente assinaria com a Polygram para a produção de um LP Tim Maia. Com o disco, canções como "Azul da Cor do Mar", "Primavera" e "Eu Amo Você" começavam a atrair a atenção da crítica, dos fãs e também das feras da MPB, como Elis Regina. Na seqüência, mais hits: "Não Quero Dinheiro (Só quero amar)", na "Gostava tanto de você" e "Réu confesso". Influenciado pela Cultura Racional, Tim decide mergulhar na filosofia ufologista, e com ela lançaria dois discos inspirados pelo tema Tim Maia Racional Volume 1 e Volume 2.

Já pelos ares mais democráticos dos anos 80, com a escalada do rock nacional, pontuado por Lulu Santos, Barão Vermelho, Legião Urbana e outros nomes, Tim Maia conseguiria se manter atual e no gosto do jovem. "Descobridor dos Sete Mares" balançou as paradas, ao lado de "Me Dê Motivo". O sucesso continuaria com seu dueto com Gal Costa em "Um dia de Domingo" (85) Desanimado com as gravadoras, fundaria a gravadora Vitória Régia nos anos 90, que não emplacaria por problemas financeiros. No final da década, Tim não conseguiria sobreviver a um mal súbito quando se preparava para cantar no palco do Teatro Municipal de Niterói. Cinco anos depois de ganhar o apelido de Síndico por Jorge Ben Jor (extraído da letra da canção W/Brasil), Tim nos deixaria órfãos de sua música e carisma no dia 15 de março de 1998.

Discografia

Anos 70

Depois de gravar seu primeiro compacto em 1968, Tim foi convidado pela Polygram para produzir seu primeiro LP, lançado em 1970. Com o álbum, os hits "Azul da Cor do Mar", "Primavera" e "Eu Amo Você". Mais sucessos viriam com o segundo disco homônimo (1971). Entre eles, "A festa do Santo Reis", "Não quero dinheiro (Só quero amar)", "Não vou ficar" e "Você" e ainda" e "Preciso aprender a ser só". Até o final da década, Tim mergulharia de cabeça em sua fase racional, com os álbuns Tim Maia Racional Volumes 1 e 2, lançados respectivamente em 1975 e 76.

Anos 80

Tim Maia continuaria nas paradas graças ao excelente Descobridor dos Sete Mares (1983). Em 1985, o dueto produzido ao lado de Gal Costa se transformaria em um hino romântico da década "Um dia de Domingo". A música foi lançada em um álbum que traria ainda "Pede a Ela" e "Leva". No ano seguinte o homônimo Tim Maia apresentou ao público o megahit "Do Leme Ao Pontal" − música que se tornaria uma de suas marcas registradas na MPB.

Anos 90

Na última década de sua vida, Tim Maia decide aplicar suas economias na criação de um selo musical, o Vitória Régia, com nome tirado de uma música gravada e lançada por ele em 1978. Fora da vida empresarial, sua múisica continuaria a fascinar. E "Vale Tudo" − compacto extraído de Dance Bem (1990) leva Tim de volta ao topo das paradas. Em 1993, Jorge Ben Jor o presenteia com o apelido perfeito "Síndico", extraída da letra de sua música "W/Brasil". No mesmo ano, Tim regrava "Como Uma Onda", de Lulu Santos e a música emplaca.. Quatro anos mais tarde, Tim ousaria lançar mais cinco trabalhos quase simultâneos: Pro Meu Grande Amor, Sorriso de Criança, What a Wonderful World. Amigos do rei - Tim Maia e os Cariocas e Só Você − Para ouvir e dançar.

Novidades sobre o Síndico:

Foi anunciada recentemente a produção de um longa-metragem baseado na biografia de Tim Maia escrita por Nelson Motta "Vale Tudo − o som e a fúria de Tim Maia".

Nenhum comentário: